(11) 96403-7620 (11) 4622-2996 (11) 94779-0308 (11) 99577-5012
Qual é a relação entre a depressão e a dependência química?

Qual é a relação entre a depressão e a dependência química?


A dependência química e os transtornos mentais possuem uma relação estreita: é comum que os usuários de álcool e de drogas psicoativas sejam depressivos ou, posteriormente, desenvolvam esta doença.

É importante observar se o dependente possui sintomas para oferecer a ele o melhor e mais adequado tratamento para sua condição.  Entenda agora como e o por que isso acontece e a importância de procurar ajuda profissional sobre o assunto.

 

O que é a depressão?

Podemos definir esta enfermidade como um transtorno mental no qual a pessoa perde o interesse por atividades que antes lhe davam prazer, sentindo-se, na maior parte do tempo, triste. É comum que haver também perda de apetite e dificuldades para dormir. Algumas causas para o desenvolvimento da depressão são:

 

  • Histórico familiar.
  • Ansiedade crônica.
  • Perdas com as quais o paciente tenha dificuldade de lidar.
  • Problemas nas relações interpessoais.
  • Estresse crônico.
  • Traumas psicológicos.

 

Dependência química e depressão: um círculo vicioso

Muitos depressivos tendem a apresentar uma resposta autodestrutiva para seu problema, seja por falta informação ou por não possuírem apoio familiar e exemplos próximos que os ajudem a lidar com esta situação.

Por isso, tendem a utilizar o álcool e/ou as drogas como um remédio, mesmo momentâneo, para o seu problema. Essas substâncias químicas atuam diretamente no sistema nervoso central e desencadeiam uma sensação de prazer, possibilitando esquecer a tristeza por algum tempo.

O problema é que, logo que a substância é excretada pelo corpo, o sentimento de tristeza retorna, por vezes, pior do que antes já que o organismo acaba de viver um pico de prazer. Então, o usuário volta a buscar as drogas, criando assim um círculo vicioso.

Por outro lado, a dependência química também pode levar ao desenvolvimento da depressão. O vício impacta a vida do indivíduo em diversos aspectos, levando frequentemente a desentendimentos com familiares e amigos, divórcio, demissão, perda de bens e/ou violência física.

Essas transformações fazem com que o indivíduo se sinta triste, mal humorado e, muitas vezes, fique sozinho, sem apoio de pessoas queridas, o que pode levá-lo a ficar depressivo.

Assim, a depressão e a dependência química são uma via de mão-dupla e é importante ficar atento aos seus sinais.

 

Como procurar ajuda?

Como qualquer doença, é essencial buscar ajuda especializada. Assim como não curamos uma perna quebrada fora do hospital, a dependência química e a depressão devem ser tratadas em uma clínica de recuperação.

Mas atenção: faça uma pesquisa prévia sobre a composição da equipe e a infraestrutura do espaço, incluindo a existência de tratamento específico para dependentes químicos que possuem transtornos mentais.

Essa combinação permite que o atendimento seja personalizado e ajude a pessoa a controlar esses sintomas para voltar ao convívio social renovada, recomeçando a  vida.

 

Os médicos e psicólogos das clínicas de recuperação do Grupo Aguiar têm experiência no tratamento de dependentes químicos que possuem depressão. Entre em contato conosco para mais informações!


Blog

Quais as consequências da dependência química

Quais as consequências da dependência química

A dependência química gera problemas para o individuo que não consegue parar de consumir substâncias que fazem mal ao organismo

Alcoólatras: Tipos de tratamentos e clínicas de recuperação

Alcoólatras: Tipos de tratamentos e clínicas de recuperação

O alcoolismo é um problema grave que preocupa a saúde publica, pois o vicio em álcool é uma doença séria, e não deve ser rotulado como um probl

Dependência química: tipos, sintomas e melhores tratamentos

Dependência química: tipos, sintomas e melhores tratamentos

A pessoa que sofre de dependência química tem uma necessidade incontrolável de usar um tipo de substancia, utilizando de forma compulsiva, e acaba

Internação involuntária para o tratamento do crack

Internação involuntária para o tratamento do crack

O vicio no crack é um dos mais preocupantes, pois compromete o ato de comer, beber e dormir. Mesmo no início do uso, as alterações físicas e comp